A Sua Voz Pode Não Estar Falando Corretamente

A sua voz pode não estar falando corretamente

O bom ou mau uso desta ferramenta pode interferir tanto na mensagem transmitida quanto na saúde geral

Por Joab Dias 16 de abril de 2020

Celebrado em 16 de abril, o Dia Mundial da Voz chama a atenção para cuidados simples que podem prevenir diversos problemas vocais. (Foto: Shutterstock)

A voz é importante para as relações humanas. Por meio dela, nos expressamos e nos aproximamos de outras pessoas. Além disso, há quem a utilize como ferramenta de trabalho (pastores, cantores, professores, etc.). Note que esse grupo também atua no contexto da Igreja, seja de forma profissional ou não, o que faz da voz um importante recurso para a pregação do evangelho e cumprimento da missão. Sobre isso, a autora Ellen G. White escreveu:

“O dom da palavra é um talento que deve ser cultivado cuidadosamente. De todos os dons que recebemos de Deus, nenhum é capaz de se tornar maior bênção que este. Com a voz convencemos e persuadimos; com ela elevamos orações e louvores a Deus, e falamos a outros do amor do Redentor. Que importância tem, pois, que seja bem educada a fim de tornar-se mais eficaz para o bem!” (Parábolas de Jesus, p. 178)

Isso nos leva a refletir sobre a importância do cuidado e da educação da voz. Veja o que White diz a respeito:

“A cultura e o correto uso da voz são grandemente negligenciados até por pessoas de inteligência e de atividade cristã. Muitos há que lêem ou falam de maneira tão baixa ou tão rápida que não podem ser compreendidos perfeitamente. Alguns possuem pronúncia pesada e indistinta, outros falam em tonalidade alta, em tons agudos e estridentes, desagradáveis aos ouvintes. Textos, hinos, relatórios e outras partes, apresentados em reuniões públicas, são às vezes lidos de maneira tal que não são entendidos, de modo que muitas vezes perdem toda a força e nada impressionam.” (Parábolas de Jesus, p. 178)

Seja amigo da sua voz

Além de deficiência na transmissão da mensagem, há danos físicos relacionados ao mau uso da voz. O seu abuso, por exemplo, resulta em diminuição da extensão dinâmica, soprosidade, aspereza, sonoridade empobrecida, pitch (tom) agravado e “quebras” e ataques vocais bruscos. Mas é possível evitá-los com alguns cuidados simples. Um panfleto publicado pela Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia dá algumas dicas:

1 – Fale sem esforço e articule bem as palavras;
2 – Mantenha uma boa postura ao falar ou cantar;
3 – Beba dois litros de água diariamente;
4 – Durma bem;
5 – Use vestuário confortável;
6 – Tenha uma alimentação saudável, rica em frutas e proteínas;
7 – Procure reduzir a quantidade de fala durante quadros gripais, crises alérgicas e período pré-menstrual;
8 – Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes ruidosos;
9 – Evite pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas;
10 – Evite ingerir leites e derivados, bebidas gasosas e chocolate antes de utilizar a voz continuamente;
11 – Evite a ingestão de álcool e outras drogas;
12 – Evite cantar inadequadamente ou abusivamente;
13 – Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal como cansaço, dor ou ardor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro ou rouquidão;
14 – No caso de problemas vocais, procure um fonoaudiólogo e um otorrinolaringologista.

Além do verbo

É importante, ainda, lembrar que a voz não comunica sozinha; ela faz parte de uma mecânica complexa, em que todo o corpo se mobiliza para transmitir uma mensagem. Veja só o que dizem as pesquisadoras Mara Behlau e Andressa Consentino sobre uma boa e completa comunicação:

“O uso de gestos e o contato visual direcionado refletem a personalidade e o comportamento do falante. Quando realizados de forma fluida e pertinente valorizam a apresentação, contribuindo para a transmissão da mensagem. O padrão articulatório com sons bem-definidos transmite ao ouvinte desejo de ser compreendido e clareza de idéias. Já uma articulação mal-definida pode indicar dificuldade na organização mental ou mesmo falta de vontade de se comunicar. (…) Uma velocidade lenta desliga o ouvinte e passa impressão de lentidão de pensamento, ao passo que uma velocidade elevada pode refletir ansiedade e tensão além de não dar espaço para o interlocutor. Detalhes da expressão facial, dos gestos, da postura corporal e da voz criam um importante meio de comunicação que permeia a linguagem falada, favorecendo ou não o diálogo. Pessoas que sorriem com espontaneidade, que apresentam qualidade de voz agradável e demonstram receptividade com seus gestos, costumam atrair interlocutores”.

Por fim…

E então, o que a sua voz tem falado sobre você? Ela tem sido eficaz em proclamar a mensagem de esperança que Deus te incumbiu? Espero que essas informações e dicas contribuam positivamente para a sua saúde e ministério. E quero deixar só mais um recado da professora White:

“Aqueles que ensinam a verdade, façam-na com simplicidade. Não experimentem conduzir a verdade ao lar com espírito de levante antagonismo (…) Por esforço perseverante podemos cultivar a voz convertida, uma língua convertida e uma simpatia e ternura como a de Cristo, para que possamos ganhar almas para a verdade que ensinamos.” (Review and Herald, vol. 79, p. 45)


Joab Dias é fonoaudiólogo e teólogo.

Disponível em: https://noticias.adventistas.org/pt/?orderby=date&order=DESC&post_status=publish&post_type=post&seemore_title=%C3%9Altimas+Not%C3%ADcias&xtt-pa-sedes=dsa Acesso em: 16/04/2020

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *