Little Richard E A Religião

Little Richard e a religião

Lendário cator Little Richard teve uma relação com a religião, inclusive a Igreja Adventista. O que esta biografia ensina sobre a necessidade de Deus.

Por Joêzer Mendonça 11 de maio de 2020

Cantor teve muita proximidade com adventismo, inclusive nos últimos tempos de sua vida. (Foto: Whiplash)

Foi num sábado que faleceu aos 87 anos o mais famoso ex-aluno da universidade adventista Oakwood College: o cantor Little Richard. Ele mesmo, um dos pioneiros do rock, que entoava wop-bop-aloo-bop-alop-bam-boom.

Ele era de família evangélica e, no auge do sucesso, em 1957, sentindo-se em falta com sua fé, anunciou que estava deixando tudo para se tornar pastor. Pesou nessa decisão um incidente em que uma forte turbulência afetou a aeronave onde ele viajava e Richard disse ter visto luzes brilhantes de anjos protegendo o voo, o que ele tomou como um sinal de Deus.

Foi, então, foi estudar em Oakwood e durante cinco anos só gravou música gospel. Durante esse período, participou de uma campanha evangelística ao lado do pregador adventista E. E. Cleveland. Na ocasião, a revista Review and Herald (setembro de 1958) registrou que “duas ex-estrelas da música, Joyce Bryant e Richard ‘Little Richard’ Penniman testemunharam do poder redentor de Deus” e que “o ex-roqueiro fez um apelo aos antigos fãs ali presentes e mais de 300 pessoas atenderam. Ele fez uma tocante oração por eles”.

Volta aos palcos

Little Richard voltaria aos palcos seculares em 1962 e continuou fazendo shows ao longo de sua vida. Mas logo após uma tragédia familiar e problemas com uso de drogas, ele gravou um disco, em 1979, chamado God’s Beautiful City, em que constavam o hino Tudo Entregarei e testemunhos de sua conversão. Em 1981, ele lançaria a música Where would I Go without the Lord [Para onde eu iria sem o Senhor]. Foi quando ele passou a pregar em diversas igrejas evangélicas e falar durante seus shows: “O mundo está no fim. Aproximem-se de Deus”, ele dizia.

Após deixar os estudos em Oakwood, a relação de Little Richard com a Igreja Adventista foi mais discreta. Ele não foi ministro adventista ordenado, mas se considerava um adventista do sétimo dia, congregando-se aos sábados em igrejas de Los Angeles ou de alguma cidade onde tinha shows agendados, como atestam membros da Igreja Adventista Central do Rio de Janeiro que o viram entrar no templo com sua equipe numa manhã de sábado e permanecer ali durante parte do culto.

Nos últimos 30 anos de sua vida, Little Richard recebeu as maiores homenagens da crítica e da indústria da música que um artista do seu quilate mereceu receber, e também continuou cantando e afirmando nos shows: “Eu canto rock’n’roll, Deus me ama. Eu sou um cantor de rock, mas também sou um cristão”.

Como cristão, vejo sua vida e lembro que, dentro de um dos grandes cantores de todos os tempos, também havia um espaço vazio onde ele resolveu colocar sua fé.

Joêzer Mendonça é doutor em Música (UNESP), professor da PUCPR e autor de Música e Religião na Era do Pop.

Entrevista de Little Richard ao canal 3ABN (em inglês):

Referências:

*Com informações de The Life and Times of Little Richard (2003), Spectrum Magazine (set/2009) e IAMAonline.

Disponível em: https://noticias.adventistas.org/pt/?orderby=date&order=DESC&post_status=publish&post_type=post&seemore_title=%C3%9Altimas+Not%C3%ADcias&xtt-pa-sedes=dsa Acesso em: 11/05/2020

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *